Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

Na frescura dos meus anos, vagueio confiante pela estrada do tempo; escrevo, observo e recordo

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Recordando... Miminhos!


QUERIDO!
Eu não me cuido! Cuidas-me. Espevitas-me. Levas-me a fazer coisas que nunca imaginei e a viver como ninguém vive. É por isso que me julgam louca, pois faço o que ninguém é capaz de fazer. Assumo os meus inúmeros erros e avanço presa na Tua mão que os olhos não vêem mas o coração sente.
Vazia de mim… só posso desejar da vida que a preenchas a Teu modo, ‘Tu’!... só ‘Tu’!
2009/10/12 - 17.57h
Hermínia Nadais

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Política




Admiro muito a coragem
Dos políticos, frente a frente,
Discutindo o bom e o mau
Na frente de toda a gente.

Vou ter saudades de ver
Passar na televisão,
Os debates da política
Que me enchem de atenção!

Eu tenho a minha política
Como a têm outros mais,
Mas não sou politiqueira,
Guardo p'ra mim meus ideais

Hermínia Nadais

segunda-feira, 12 de março de 2018

Gaivota da ria



Gaivota malhada
correndo apressada…
elegante senhora
muito assenhorada!

Não tem qualquer medo,
não corre, não espanta,
seu olhar cativo
parece ter esperança
de encontrar algo
ou alguém que perdeu
neste ponto incerto
entre terra e céu.

Um carro se apressa
e ela esvoaça…
ligeira, ela foge
com grande ar de graça!...

E neste recanto
entre a terra e o céu,
vai espreitando a ria
que é o canto seu.

2004/02/01   13.36 h
Hermínia Nadais

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

APRENDI



Sim!
Hoje aprendi
que a Virgem
é Rainha absoluta
do mundo
dos corações
dos crentes
e das tumultuosas
desilusões
dos mais descrentes
do povo que ama a cruz
e daquele que só de nome
conhece o bom Jesus
do que entra neste recinto
para se encontrar
consigo e com o irmão
e do resmungão
empoeirado
e renegado
que não consegue
ouvir
nem entender
o bater
do seu próprio coração
na ilusão de ser
o melhor que há no mundo
no egoísmo mais torpe
mais cego
e mais profundo...

Aprendi
que todos
aqui
prostrados
dobram o joelho
para orar
a Ti
ó Virgem Mãe
que a todos acolhes
sem cessar
com Teus lábios
que não se cansam
de pedir
com Teus ouvidos
que não se cansam
de ouvir
com Teus olhos
que não se cansam
de chorar
ou de sorrir
e com Teus braços
que não se cansam
de abraçar.

Hermínia Nadais

Recinto de Fátima, 13 de Maio de 2007


domingo, 14 de janeiro de 2018

RASGAR O SILÊNCIO

Senhores e minhas senhoras
Boa tarde, estou baralhada!
Não sei se devo falar
Ou continuar calada.

Há muitos anos nasci
Numa aldeia pequenina,
Para meus pais e outros mais
Eu era a melhor menina!

Traquina por natureza
Mas de tudo bem dotada,
Habituada à rudeza
Mas pela sorte bafejada!

Meus pais não eram cristãos
Daqueles que o são pela metade
Eles viviam a Fé em Cristo
Com vida, amor e verdade!

No tempo em que a vida dura
Matava de aflição
Sua confiança em Deus
Dava alento ao coração.

Hermínia Nadais


2011/09/10 – 11.40

sábado, 23 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL

O Advento passou
bem devagarinho
a dar tempo para pensar
no que há mudar
ao longo do caminho.

Os segundos dos dias
de labor e confiança
foram escadas subidas
a robustecer e reforçar
a fé e a esperança.

E nos esforços dispendidos
olhando ao largo
para fazer fraternidade
foi chegando o dia
da grande novidade
o dia escolhido
para o aniversário
do Nascimento de Jesus
que passados vinte séculos
continua a encher
as almas de mais luz!

Feliz Natal
para todos os amigos
de todas as gerações
e que Jesus
esteja bem presente
e para sempre
em todos os corações.


Hermínia Nadais

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

FINALMENTE!...


Sim!
Finalmente
comecei a aprender
a parar sem o querer
e a gargalhar ao olhar
para tudo o que há para fazer!

Finalmente
não tenho pressa em correr
nem aos bocados
ainda que o ambiente se afunde
em trabalhos não realizados.

Finalmente
eu percebi perfeitamente
que o melhor da vida
é escutar compreender
e ser presente

Finalmente…
Interiorizei e entendi
correctamente
que sou alguém muito feliz
vagueando ainda por aqui
de mãos bem dadas
com toda a ‘minha’ gente!


Hermínia Nadais

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

A ESCOLA DA VIDA

Vou passando os dias
envolta
em pensamentos e atitudes
com as quais
quero ir dignificando
as vidas!
Será que vou conseguir?
Talvez!
Se o desânimo
não me partir o coração
e as aprendizagens
de todos os segundos
forem bem aproveitadas…
porque a vida é uma escola
que não pára
de nos surpreender
e ensinar!
Que assim seja para sempre!


Hermínia Nadais

terça-feira, 13 de junho de 2017

Eu… e o meu mundo!

Eu… e o meu mundo???
Sinceramente...
No meio de tantas arrelias e tropelias tantas vezes desencontrada de mim mesma... acabo por não saber muito bem qual é ao certo o meu mundo!
Irei rodando no decorrer dos segundos tentando descobrir, na realidade, como  e onde me sentirei mais igual ao que realmente sou, e aí, de facto, será o meu mundo verdadeiro!
E neste ‘meu mundo’… o melhor da vida para todos os meus amigos e amigas!

Hermínia Nadais

sábado, 4 de março de 2017

NÃO JULGAR

Não julgar… é fácil de dizer e difícil de praticar!
A vida é uma longa ou curta caminhada
que deve ser de ascese e crescer constantes
que acabam por ser intermitentes
pois não obstante os esforços dispendidos,
só em pequenos momentos
serão em pleno atingidos.

Dizemos que é urgente não julgar
e nem sequer nisso nós pensamos
mas a todo o momento,
inexplicavelmente, nós julgamos:
julgamos o bom e o mau,
o grande e o pequeno,
o bonito e o feio, o rico e o pobre,
o palhaço brincalhão e o impertinente nobre,
a delinquência do desprovido
e a prepotência do sabichão enaltecido,
o roto, sujo e esfarrapado
e o ajeitadinho, elegante e bem cuidado,
o mal cheiroso e o perfumado,
o que enche a boca com frases disparatadas
e o que se compraz de as fazer bem estruturadas…

Julgamos o que, desnudado, vagueia pelas ruas,
e o que, com ou sem gosto, se acoberta por demais
deixando visíveis os olhos e nada mais…

Nós julgamos o que tudo faz para tudo ter com dura lida…
e o que nada faz para alcançar algo na vida…

Nós julgamos o egoísta e o caridoso,
o alto e o baixo,
o de rosto tratado ou rugoso,
o loiro de olhinhos azuis
e o moreninho de cabelos acastanhados,
o que usa trancinhas e travessões
e o que rapa o cabelo para não ter que se pentear,
a que pinta os lábios e dá brilho e esplendor ao seu cabelo
e a que tem as unhas sujas de tanto trabalhar…
porque… é porcaria e desmazelo!...

Julgamos o que usa fraque e tramelinho,
e o de calças de ganga
com pequeno ou grande buraquinho…

Irra!... Tanto julgar não dá para entender!
Será que não há mais nada para fazer?

E porque não tentar… para acabar
com todos estes julgamentos desleais…
aprender a julgar, sim,
mas cada um a si mesmo e nada mais!
Julgar a fundo todo o seu potencial
para encontrar formas
de destruir em si tudo o que é mal
e desenvolver mais e melhor o que bom for
e leve ao respeito mútuo e mútuo amor!...

Seria bom para dar fim ao que é tormento
neste mundo belo e acolhedor
escasso de momentos e de tempo…
e acabar com o desengano e desamor
que enche as vidas da mais imensa dor
e mal-entendidos que só causam sofrimento!

Hermínia Nadais


Torreira, 2012/06/29 – 17 10h